quinta-feira, 31 de março de 2011

Neutralidade



Os tons pastéis não são os que prefiro em meus pincéis
Sou dada às cores fortes e quentes
Aos sabores nobres e ardentes
Aos beijos longos e molhados
Aos desejos viscerais
Aos amores intensos
Aos momentos eternos

Neutralidade nunca foi o meu forte
Para mim é assim: tudo ou tudo
Tudo agora, ou tudo jogado fora
Viver ou deixar para alguém viver por mim?
Opto pela história
qualquer vivência que valha ser guardada na memória
Escolho intensidade
qualquer experiência que seja ao menos de verdade
Mergulho no escuro
qualquer dia descobres que ficar em cima do muro
é pior que conhecer tuas próprias sombras
É preciso saber que sobras não matam a fome
não satisfazem
não enobrecem
não engrandecem




2 comentários:

  1. Já disse que te amo e amo o que escreves?
    Bjus de luz minha musa inspirada.

    ResponderExcluir
  2. Já disse, mas pode repetir sempre que quiser!

    ResponderExcluir